Chamamentos


Ó vento do meu pensar, nuvem do meu saber,
Vem-me náuseas sublimes sem conhecer.
Persiste o empregado dá mesa redonda,
Para que eu estimule a onda!

Ele é um tanto inquieto e provoca ânimo
Todos vão a seu café de manhã
E eu vou-me abraçado ao heterónimo,
Na brisa do amanhã...

Tudo está sem tudo: numa região juntam-se,
Na tradicional conversa do povo,
Horas e horas se vê passar.

E eu, que tão bem me fazia conversar,
Fico só. Eles congratulam-se,
Na gazeta do novo!

Álvaro Machado - 17:02 - 15-04-2012

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Desventura insensata

Assim.