Quases


Quando vi, pedi, fica comigo. Mas foi em vão.
E no frio dos sentimentos havia palavras neste coração,
Eram quentes e verdadeiras; espalhadas em tal divindade,
Onde eras tu a minha felicidade!

Nunca gostei, nunca... E se gostei, nunca fui adorado,
Pelo sonho que senti nesta tarde íntima
Fel e consagrado

Sempre costumei, sempre... Ver as grandes maravilhas
Interiormente - soltando uma lágrima -
Quebra-se a cavilha

E quase cego, imaginei. Velha mansão,
Irónica em desgostos férteis
Causava impulsos febris
Ao longo da invocação!

Álvaro Machado - 17:41 - 25-04-2012

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Assim.

Desventura insensata

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante