Arrogância intelectual

 
Um intelectual julga ser
Único verdadeiro inspirador
De paisagens que diz viver
Sem verdadeiramente as conhecer

Intitula-se de grande sonhador
Pela razão fúnebre e estéril
De não ser mais do que um servil
Pensador.

E chega a ser ganância
Achar que tem talento
E parte numa fragrância
Coberta de abatimento

Somos assim... Nós intelectuais...
Porque não somos, nem nunca fomos,
Homens e mulheres normais.

Evidenciamos - e a ciência sabe-o - que nossos átomos
Reluzem no torpor da tília, exaltam o alabastro
À navegação com o nosso Portugal ao mastro!

Álvaro Machado - 14:09 - 12-05-2012

Comentários

Mensagens populares deste blogue

O lar olvidado

de folha em folha, tudo cai vão