Esqueço


Dizem esquece. Eu esqueço,
Sem realmente saber
Faço esquecer

Procuro as fraquezas, as anomalias
Tu que és vento, que és a grande verdade,
Tu me contrarias...

Não entendo e apuro saber esta contrariedade!
Elevo aos infinito o que não recordo,
E enfraqueço!

Mas não liguem ao que vos conto
Não e não! Não leiam, não entendam!
Só eu é que os afronto!
Eles que me temam!

Álvaro Machado - 14:57 - 25-05-2012

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Da outra margem!

de folha em folha, tudo cai vão