Cansado


A verdadeira vontade que me cansa
Está nos caminhos que faltam percorrer,
Escondidos e tapados pela falsa esperança
Passeio-os para esquecer

Os dias que não são senão monótonos
Em correrias abafadas eu me sinto,
E já cansado e faminto,
Sonho ricos tronos.

Mas eles não são como outros pensam ser
Esbeltos e luxuosos
E mais tarde tempestuosos,
Palácios de bom parecer!

São-no interiormente… e quem reina é a metafísica,
Que à vista de todos é uma loucura!
E a meus olhos, cheios de amargura,
É a mais bela ausência física…

Vivo rodeado pela decadência da cultura
E neste caminhar sem cura,
Excluo-me em direcção às estrelas
Esperando nunca chegar a vê-las…

Pois de que vale sermos felizes unicamente?
Possuirmos a riqueza física e esquecermos,
A parte que durante anos conhecemos
Pelo pensar, pensando filosoficamente?

Álvaro Machado - 19:34 - 11-06-2012

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Da outra margem!

de folha em folha, tudo cai vão