Composição do Eu


A palavra é o meu grito, o silêncio é a minha solidão...
Eu grito com todas as minhas forças para que me oiças
Lá no fundo e sem nenhuma esperança no coração,
Espero ainda que me oiças.

A minha voz que não responde, os meus olhos que não vêem...
De tanto imagino um momento que chego a confundi-lo
Um momento que todos têm
Mas que sou único a senti-lo.

O suspiro que respiro, o sofrimento que é teu...
No alto da colina, debaixo do profundo...
Choro em mim o que de ti é meu...

Minha tragédia que me naufragas-te ao nascimento!
Fui único a ter-te em mim, fui único ao mundo!
Mas isto sou eu... eu em sofrimento!

Álvaro Machado - 16:39 - 12-07-2012

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Da outra margem!

de folha em folha, tudo cai vão

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante