Camponês


Trabalha na terra, camponês honesto,
O futuro de todos e de tudo o resto.
Brada aos deuses por luz e chuva
Mas não queiras tempestade turva.

Sê feliz junto de outros camponeses;
Sê humilde e Deus te guardará
Esse campo que mais ninguém terá
(Teu, será mil vezes)

As mãos com que trabalhas transpiram
Mais do que tu próprio pensas.
Essas tuas mãos tornaram
Verdadeiras as tuas crenças.

E não corrompas esse espírito humilde,
Camponês de Portugal, e sê transparente…
(Deixá-los lá, de quem não é humilde)
Tu, camponês bem-intencionado e boa gente,
Levantarás Portugal da ruína!

Mas não sejas ou queiras ser intelectual.
Nesse campo não há alegria nem cores.
Apenas perdias o futuro e ganharias o ritual
Dessas desvanecidas dores!

Crê no que te digo! Sê o que quero que sejas!
Mesmo não ouvindo a minha voz!
Espero sinceramente, camponês, que estejas,
Na luta por nós!

Álvaro Machado – 21:13 – 28-09-2012

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Da outra margem!

Barco infantil