Um novo começo


O que mais espero da vida é viver ao relento das minhas ideias.
E que sou eu a não ser escombros disto mesmo?
A minha loucura reside no próximo mundo, que eu próprio irei conquistar.
Não sei de onde venho, não sei por que vim, não sei o que é este mundo...
Só me cerca a amargura das hipocrisias andantes e os venenos enfáticos,
Falas monótonas, mentes retrógradas, incoerências incoerentes!
Sei, por fim, que estou neste mundo e que sou escombros disso mesmo.
Assim como uma experiência onde as reacções não passam de invisíveis
Sou invisível perante esta sociedade fértil de anomalias!
Ah! Eu tenho a minha loucura! Quero criar o submundo no meu interior
Onde só reinará os corações que não sintam nem o próprio vazio!
E esta vida, este mundo, estas palavras que escrevo não serão nada!
Aquele mundo - já ali tão perto de todos - é que será a razão das lágrimas
Que o homem solta por viver a sua vida inocentemente...

Álvaro Machado - 21:54 - 09-08-2012

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Da outra margem!

de folha em folha, tudo cai vão

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante