Perfil


Mulher inventada porque perdes a rota
E vais ao acaso por essa estrada?
Mulher amada não vês que nada
Faz de ti rota?

Contigo leva os agasalhos, está fresco
Por essa estrada fora; leva esse teu ar
Gelado como teu andar...

Desaparece por entre canteiros, sem eu ver,
E vai ao acaso por essa rota que achas conhecer.
Desaparece, volta costas a esse perfil grotesco.

Mulher desencantada porque falhas a direcção?
És a doce ciência que passa no abismo e não cai
Ó altiva mulher despojada que por essa estrada vai,
Deixa chegar junto de ti esta canção...

Álvaro Machado - 14:24 - 07-10-2012

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Desventura insensata

Assim.