Recanto estrelar


Breve como os recantos das estrelas,
Breve instância intemporal,
É toda a dimensão desse espaço
Onde tudo é sensacional.

Leve como as águas marítimas,
Leve suavidade ao relento
É todo o distanciamento
Desse distante vento...

Como são distantes as tuas estrelas,
A tua galáxia e a tua constelação...
É demasiado breve para te encontrar

Em toda a minha vida, dela fiz ciência,
Cansei-me tanto de tanto te procurar
Às galáxias moribundas da distância!

E no meu sono, breve como o de ninguém,
És a maior cumplicidade dita e vista...
E no meu sono desvaneces nas estrelas...

Álvaro Machado - 12:50 - 06-10-2012

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Da outra margem!

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

de folha em folha, tudo cai vão