Incerteza




Como tem chovido,
Não me tenho apercebido
Que está a chover.

A meio do dia já passou,
E dia já não mais quero ver
Por onde vou.

E agora que já não sei da chuvada
Peço que venha mais tarde p’ra ver;
E vou aguardar até que seja transbordada,

Entre a chuva tempestuosa e o chão desabado…
Vem, por favor. Vem, porque estou molhado
E não sei porque está a chover!...

Álvaro Machado – 21:01 – 15-11-2012



Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Da outra margem!

Barco infantil