Miragem.




Tenho vontade de ser a miragem e o precipício,
E de não seres tu a luz pequena que dá vida
À minha alma, a verdade que tem sido lida
Nos versos do eterno vício

Mas eu sonho ser mais do que o mundo,
E por isso não sei o que é pertencer
Às coisas normais do normal amanhecer
E ao Mar e ao seu fundo...

Tenho vontade de ser mais que a miragem,
Mais do que o precipício e ir mais além
Do que o ser que quer e não tem.

Vontade é o sonho incontrolado de não ter.
Vontade é sonhar ser-se miragem e morrer-se
Miragem que não soube ser.

Álvaro Machado – 14:35 – 01-12-2012

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Da outra margem!

de folha em folha, tudo cai vão

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante