Escrever e ser




Posso escrever sobre estrelas,
Porque estrelas há em mim.
E, se as escrevo, quero sê-las,
Nem que isso dite um fim.

Mas deixa-me triste estar próximo delas.
Estar próximo é estar longe porque não lhe tocamos!
É o Destino eu poder sentir e vê-las
E elas não saberem que as olhamos?

Atónita vida de pequenas proximidades e de longas distâncias!
O que nos é longe, fica longe, e não lhe podemos tocar;
O que nos é perto, está perto, e não lhe podemos aproximar!
Afinal, o que somos quando sonhamos?

Todas as impossibilidades que nos deixam atónitos ou felizes...
- Mas, se fossem tão impossíveis como dizem, porque as sonhamos?
Será o desejo infinito que massacra e confunde?

Não acho respostas para o que escrevo, (e tu, o que dizes?)
E continuo por aqui a escrever sobre elas, que tanto precisamos...

..........................................................
Fim do mundo será, queiramos ou não!

Álvaro Machado – 21:06 – 15-01-2013

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Da outra margem!

Barco infantil