Ser eu




Um dia eu fui apenas eu.
Os sonhos reais e a vida irrisória
Um dia consegui sair em vitória
E tudo é e foi meu

Se escorriam lágrimas eram demasiadas.
Os sonhos eram as nossas caminhadas
Pelo Destino conhecido e pelas cartas
Que te escrevia em horas fartas

Mas isto são palavras de alguém
Que não sou eu...
Estas palavras são de ninguém
Que quis o caminho meu...

São as palavras retractadas de dor
Que vivem junto do sonhador...
As palavras de um grande amor
Que se foi destruindo...

Álvaro Machado – 19:19 – 17-01-2013

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Da outra margem!

de folha em folha, tudo cai vão

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante