Terrível de viajar




Terrível é não sentir
Que o mundo me perdeu...
Ir como quem esqueceu
De viver antes de partir...

E eriça-me olhar Monalisa,
Subitamente.
Focam-me os olhos de cara lisa
E quase morro repentinamente.

Talvez o génio italiano
Sonha-se com aquele olhar;
Talvez fosse a si próprio retractar
Com um rosto mais plano.

E viajo nesta quase madrugada
Até a Itália renascentista.
(Revejo-me nesta época por mim sonhada)
E viajo comigo um idealista,

Que vai indo e procurando
Por entre o medo de existir
As dúvidas continuam-lhe cismando
Se deus há-de mesmo vir...

Álvaro Machado – 00:05 – 01-02-2013

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Da outra margem!

Barco infantil