Consciência





O homem é um princípio sem consciência,
Um fim sem noção de fim porque acaba,
Um intermediário de experiência de vida
Que, se lhe for questionada a origem,
A voz enfraquece e o pensamento esquece.

Consta que o universo é infinito
- E, se o for, porquê a nossa mortalidade? -
Consta, também, que as estrelas gerem vida
E nós somos a estrela que carregamos ao peito,
Que ilumina e faz iluminar e deixa de iluminar.

O que dói, afinal? Inspirar com uma sensação má;
Expelir, sem forças, o ar e a derrota da raça
Só porque sentimos a fraqueza de que somos feitos...
Doer é só um caminho sozinho para quem se conhece
E para quem tem uma má sensação.

Os dias passam como as horas passam
E para todos eles nós temos um sonho criado;
Naturalmente esse sonho é o de continuar vivo
Para o dia de amanhã, e continuar sem consciência
Porque a consciência é não ser.


Álvaro Machado – 13:30 – 21-02-2013
 

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Da outra margem!

Barco infantil