Homem fidalgo



Sê pobre sendo rico
De alma e coração;
E hás de perguntar um dia:
- Onde vais, homem?

Certamente que não responderá,
Por serem todos a ambição
Louca e excêntrica do material
Que não vale o material;

Eles certamente não sabem o segredo
Que eu sei, eles não sabem o mais óbvio
Desta vida: é o sol da esperança e a lua do amor,
O céu da vontade e o mar da descoberta,

Isso é conquistar o mundo sendo rico de alma,
Isso é segurar a vida com as duas mãos
E não mais deixá-la fugir, faça o vento que fizer
E chova a chuva que quiser.

- Ser rico, homem? Olha que ser rico não compra o mar,
Ser rico não te leva a percorrer o sistema solar
Nem às estrelas ele te consegue fazer chegar.
Se queres ser isso sê pobre, homem.

E as estrelas concordavam,
As estrelas todas acenavam
Para que tu fosses pobre
Sendo rico, homem.

Álvaro Machado – 13:33

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Da outra margem!

Barco infantil