Isto do vento




E é isto que somos neste mundo.
A história só nos diz mentiras.
Somos a passagem repentina do vento
E a chuva e o sol do lamento.

É isto o mundo de quem nos criou,
São estas as árvores, as paisagens,
E tudo o mais que olhamos das nuvens.
Somos tudo que o vento levou.

Tudo é estar belo e ser aparentemente eterno,
Menos nós, que passamos repentinamente
Por este mundo e outros e quem sabe continuamente!

Tudo é isto em paisagens ao sol e não sermos como ele,
É viver tão distraidamente de nem pensarmos
Que um dia, finalmente, acabamos!

Álvaro Machado – 14:18 – 08-02-2013

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Da outra margem!

de folha em folha, tudo cai vão

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante