Na era errada


Por eu não valer o momento
Há um futuro que não me quer,
Há um passado meu de esquecimento
E esta vida é de um qualquer...

Desaprendi o sentir e o estar sentindo
E agora nem sei por onde estou indo...
Se olhar para trás não vejo um caminho
E parece que nunca tracei nenhum...

Escorre no som dos riachos e da primavera
O flagelo de eu não me conseguir viver
No momento da minha era!

Não sou feliz, seja ela o momento que for.
Quem é feliz nunca há-de saber o que é dor
Porque sempre saberá se conhecer!


Álvaro Machado – 21:43 – 12-02-2013

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Da outra margem!

de folha em folha, tudo cai vão

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante