Passar. Esquecer. Viver.




Quero que pensem, quero que olhem
Para aquele que ainda agora cruzaram.
É alto ou baixo? É isso o que encontraram?
É isso que os vossos olhos dizem?

Então, agora esqueçam-no e continuem.
Dar-vos-á, porventura, a ideia de que o viram?
Não o conhecessem e por isso esquecem
Que por ele passaram.

Todo aquele por quem passarmos
Será esquecido e nunca o relembramos.
Todo aquele que conhecermos
No momento a seguir é esquecermos.

E dói esta ideia de um homem esquecer um homem,
De a pessoa que conhecêssemos mais tarde iríamos esquecer.
Por mais anos que passem junto a alguém, nunca lhe falem,
Porque quem fala mais tarde irá sofrer.

Álvaro Machado – 21:47 – 07-02-2013

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Da outra margem!

de folha em folha, tudo cai vão

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante