Sublime à partida




A vida é sublime porque é incerta
E nós ao queremos vivê-la
Partimos à descoberta
De uma direcção mais ou menos certa.
Eu parto com ela, mas pela aventura
Que há ao percorrê-la
Do cimo dos vales que tanto têm de altura
Como de distância e de amor profundo;
Da profundeza dos oceanos,
Que tanto pesam no mundo
De há milhares de anos...
Colateralmente a isto há os manuscritos
Que ensinam a história da humanidade
De há séculos para cá, e quem acha nos escritos
Um guião para a felicidade
Está terrivelmente enganado.
Quem parte à descoberta quer mais descobertas,
Quer mais caras novas e quer que mais portas lhe sejam abertas;
Quem se baseia na escritura para a sua felicidade está errado,
Porque a felicidade parte também com a partida...
Partir é estar sublime com a vida...

Álvaro Machado - 18:44 - 10-02-2013

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Da outra margem!

Barco infantil