Espalhar




O amor não precisa de ficar aí dentro.
Não sufoques só por partilhares contigo
A suposta alegria em que tu criaste
Um mundo inteiro de bons momentos.

Espalha-o pelas ruas e pelo mundo,
Mostra-o à água, deixa-o transparecer às nuvens,
Eleva-o ao céu... canta de amor o teu amor
Como o rouxinol canta de alegria.

Torna-o momentaneamente real
E extingue outros sentimentos;
Ah, esquece os pressentimentos
Que não há-de passar disso!

(Quem viu o rouxinol poisado na árvore
Nunca mais verá o rouxinol poisado,
Ele levantou voo com uma alegria
De quem esteve sempre a cantar...)

Álvaro Machado – 23:43 – 03-03-2013

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Da outra margem!

Barco infantil