Perguntas...




Porquê, estrelas? Porquê a distância entre nós?
Porquê este sentimento de culpa sem merecer?
Esta ida ao abandono e este pesar mais do que tudo
Quanto gira ou possa vir a girar na terra.

E perder tempo, na vida, é não viver para o bom tempo.
É não passar de um corpo exógeno, tão vazio como esquecido,
Que sente a saudade antes de viver o momento.
E depois há-de perguntar-se: se fosse de outro modo, que poderia ter acontecido?

Ah, que depois de o tempo passar e de não voltar atrás,
Só vamos sentir saudade atrás de saudade e não sentiremos uma única recordação!
E as estrelas riem da inocência ente a nós…
Quem dera que eu fosse uma estrela também...

Estrelas do céu vazio, porquê emoções sem proximidade?
Porquê saudade e corações despedaçados com este universo?
Quero ser como vocês: estrelas que brilham e não sentem, que habitam o universo inteiro;
Não quero pertencer aqui...

Álvaro Machado – 21:48 – 19-03-2013

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Da outra margem!

Barco infantil