Guerreiro desarmado




Vai adiante o grande guerreiro
Quando a bruma se põe
Lá no alto da montanha
Que ninguém conhece

E vai adiante, ao lado das árvores,
Com o canto de um rouxinol
A fazer-lhe bem ao ouvido,
Que lhe pede para continuar

A caminhar, a caminhar num impasse
De uma montanha que ninguém conhece,
A andar vagamente pelo sol primaveril
Sem saber mais do que nada...

......................................

Isso sim, seria a única verdade de um guerreiro,
Só com a montanha transcendente
A seu lado.
Conquistar a vida com uma só mão
E a natureza com a alma.

Álvaro Machado – 13:19 – 13-04-2013

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Da outra margem!

de folha em folha, tudo cai vão

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante