Retorno.


Já nasceram e tiveram a eternidade,
Já cresceram até à noite primaveral
- Enquanto eu vivi sempre igual,
Na mesma saudade,
Na mesma vida infernal.

Um lugar imbuído de nostalgia;
Um lugar que tanto me diz sem dizer,
Que me pertence e é meu sem poder ser
- Porque floresce por todo lado a magia
De mais vida poder nascer.

De quem eu falo todos sabem.
E os que não sabem mentem.
- O que floresce são saudades de um jardim
E o que nasce são vontades de voltar a viver em mim!

Álvaro Machado – 00:47 – 26-04-2013

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Da outra margem!

de folha em folha, tudo cai vão