Assombrado




Assombrados são todos os caminhos
Desde que me conheço.
Assombrados, os quatro cantos do mundo
Conheço desde que existo,

Viajo-os desde que me revoltei com a essência da vida
- Tudo muito fácil, tudo muito bem arranjado; demasiada perfeição, meus amigos!
Tudo é composto por fórmulas ou ideias já bem construídas; não aceitam a minha contribuição, não, isso não.
Eu vejo o mundo de outro forma, onde tudo pode e deve ser livre,
Onde ninguém pode nem merece sofrer, onde ninguém não é nem será superior a ninguém...

E agora vos digo que todos os caminhos
São cadafalsos atrás de cadafalsos, por mais que fujam.
E será melhor aceitar a impotência das nossas vidas já
Ou ignorar o facto de que vamos cair, não tarda?

Só quis dar a mão a todos vós; verdadeiramente conheci os recônditos lugares do universo
E por isso, por ter consciência da exegese do universo, sou uma sombra longínqua e ténue
Que poderia ter acrescentado novas coisas
Às coisas em que nada acrescentou.

Álvaro Machado – 19:01 – 23-05-2013

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Da outra margem!

de folha em folha, tudo cai vão

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante