Por vontade.




Inspira-me ao papel o mudar de sentido tão rápido.
O que há-de hoje fazer todo o sentido em mim
Rapidamente se verá desfeito aquando o nascer do sol
E outro desejo se apoderar do meu corpo.

Os meus hábitos mudam consoante a vontade neles.
Se repetir vezes e vezes sem conta um prazer,
Passa a rotina, e a rotina passa a tomar conta dos meus dias
Por mais que negue esse facto.

Estar no presente é viver para o futuro; por isso elas se mudam…
Que fiz ontem já conheço e já não quero retomar…
Que fiz hoje é de mim um homem a sonhar
O que farei de um amanhã por descortinar…

Álvaro Machado – 21:54 – 28-05-2013

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Da outra margem!

de folha em folha, tudo cai vão

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante