Carpe Diem?




A vida é a maior ingratidão que pode existir.
Que desde do momento em que nascemos
Passa a estar nas nossas mãos o destino
De cegar os olhos e esquecer os sonhos
Se por bem chegará a nossa hora.

E o nosso maior erro é escolher viver,
Escolher ter sonhos e paixões…
Fizéramos então, queiramos ou não,
Parte da vida, parte do mistério da morte,
Parte do paraíso e do averno...

Tão nobre é justamente viver, saborear a liberdade
E contemplar a natureza na sua plenitude.
Mas passamos a vida inteira a desperdiçar oportunidades
E quando as vimos defronte e bem claras
Tarde é para as não desperdiçar.

Sucumbem à primeira instância e a vida é triste por isso.
Porque se sofre a angustia de vir tudo desmoronar,
Todos os entes queridos para trás deixar...
Espera por nós a escuridão, a queda no vácuo infinito...
Toma-se o último respiro como lição para a vida...


Álvaro Machado – 21:27 – 09-07-2013
 

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Da outra margem!

de folha em folha, tudo cai vão

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante