Cave


Está muito distante.
Na cave fria que ninguém lembra
E onde ninguém vai ao encontro.

Só sei que é distante...
Só sei que por lá ninguém passa...
Está no limbo e por lá ficará enterrada...

Sonhos que se vêm e que se vão,
Diante de um vazio mais vazio do que o de estar triste...
Ondas amargas que nem do mar são...

Pedir será em vão, porque calhou assim...
A distância na distância criou um frio cerrado:
Talvez a morte tenha chegado.

Álvaro Machado - 21:52 - 15-08-2013

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Da outra margem!

Barco infantil