Interceptado por Deus



O quarto é sombrio, é pequeno.
E o sentimento que nele se cria
É prolixo, onírico, magistral.
Passa a ser a minha vida, a noite infernal
Tão assim só me queria...

Constrói-se em mim uma sensação
Que leva o universo à sua formação.
Constrói-se-me tudo enquanto tenho uma crescente loucura,
Dentro de mim circundam astros, morrem, nascem, multiplicam-se!
E se eu ousar desvanecer à próxima neblina,
Desvaneço com a poesia no meu coração.

Deste quarto nasce todo o pensamento, toda a certeza
Que o que virá no porvir será melhor.
Acabarão os pesadelos, toda aquela vileza
Que sempre esteve bem vivida, sempre bem imbuída de dor
Que ninguém entendia porquê.

Tudo é p'ra mim extensivo, cansativo, deixa-me lasso o corpo!
Deus, defronte de mim, num outro pensamento e num outro quarto
Intercepta-me, deixa-me ouvir a sua voz e fico embriagado!
Embriagado flutuo entre as dimensões todas que constituem o universo,
Transcendente, irreais, impossíveis, completamente loucas!

Tudo! No meu quarto sombrio!


Álvaro Machado - 23:06 - 25-10-2013

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Da outra margem!

Barco infantil