A indecisão


A noite despe-me a alma.
O sino da igreja faz-me perder os sentidos...
E o vento e a chuva e a solidão
Faz derrocar as árvores da minha vida.

Tão só nas indecisões, nos momentos, no sentimento
Que o barco que hoje carrego leva-me
A conhecer o inferno de onde minha alma descansará.
Mais ninguém se lembrará de quem fui...

A noite faz-me crer num fim que é meu e sou meu
- Gélido como tem que ser, triste como ninguém quer...
E eu penso muito nisto enquanto me sento na noite entristecida
Que embala a consciência de viver para a inconsciência do fim traçado...

Acabarei como comecei.

Álvaro Machado - 21:54 - 23-12-2013

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Da outra margem!

Barco infantil