Louvados ensinamentos



Quer o Senhor que o homem
Não trave batalhas, não se esvaia em sangue, não tenha dor,
Porque a vida foi construída com o ideal de paz e amor,
Não de ódio e de sofrimento.

Quer que nos amemos,
Que colhamos o fruto das árvores, lavremos a terra juntos.
E assim, felicidade haveria, porque seríamos todos iguais,
Sem a cobiça defronte dos nos olhos.

Mas já lá vão muitos anos desde o pregador.
Já se travaram batalhas sangrentas pelo egoísmo de um qualquer imperador,
Já muitas vidas foram tiradas sem justiça,
Já as mulheres em vão rezaram para os filhos não partirem,
Quando, tempos depois, aparecia o mensageiro
Como quem é o que carrega a notícia de morte.
Depois as lágrimas, os gritos sufocados de desespero... o filho partira cedo demais...

Qual é o Senhor que prega a paz, mas que, no seu mundo,
Tem gládios, cobiça desmedida, morte como meio para atingir o sonho?
O homem é o produto inacabado e indesejado pela natureza.
Paz? Nunca existiu.

Álvaro Machado - 17:20 - 21-12-2013

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Da outra margem!

Barco infantil