Cântico Negro


Desta vez não vos trago um poema, antes uma pequena actuação minha numa intervenção cultural em Marco de Canaveses, o "FAZ". Desta experiência absorvi duas convicções: a primeira é que temos pessoas, em Portugal, capazes de impulsionar a arte e divulgar os artistas; a segunda, não tão boa, é que as pessoas não se deslocam a eventos, diria, apelativos, talvez pela sua inércia.

Acredito que isto vai mudar. Deixo-vos aqui, então, o poema Cântico Negro de José Régio recitado por mim.

Com os melhores cumprimentos,

Álvaro Machado

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Da outra margem!

Barco infantil