Nós acabando


Tão assim perpassa
Nossa, ao frio, ao relento;
Vede que sentimento
Nos ultrapassa!

O leve que pensamos
Inda agora se perdeu
Como ele, nós acabamos
- Horizonte que desvaneceu.

Tudo não passa de estar
Sentados a sonhar;
Não se sabe sequer que é o viver,
Haja o que houver!

Paremos: escutemos afinal
Quem é a força lá fora.
Passa a hora?
Passa em todos por igual.

Todos duram ou tentam durar,
Vivem, escondem, fogem.
E na hora que vem para acabar
Finda, todo o homem.

Fundamento sem o ter,
Sonhar em uma prisão,
Ouvir o que da chuva acontecer,
De súbito aquela percepção!

Álvaro Machado – 23:53 – 07-02-2014

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Da outra margem!

Barco infantil