Porquê?


Mundo que me rodeias
Porque me levas por esse lado?
Eu não queria estar sentado
Preso por entre as paredes
A receber a mágoa do passado
O presente do nada,
O futuro naufragado...

Queria poder sentar-me contigo
Onde arde-se uma fogueira
Entre nós, houve-se sentido, luz ao fundo,
Que a chama ainda tivesse vida...
Mas o que posso eu fazer, para onde hei-de voltar?
Todo o meu dia é feito de pequenas coisas
E a todas elas eu intensamente consigo amar,
Todas únicas e especiais, sofro como elas sofrem...

Então é assim, mundo?
Porque me rodeias pelo mal?
Se eu só te peço uma fogueira para poder aquecer as mãos, o coração,
E um jardim escasso de vida humana, impregnado de sonhos,
Para eu poder recitar os meus poemas, escrever os meus sentimentos,
Chorar quanto foi meu e não é, quanto eu não consigo ser,

O mal de todos os males é a humanidade, ó mundo!

Álvaro Machado – 16:11  - 15-02-2014

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Da outra margem!

Barco infantil