Aflige a alma o sonho


Onde vai a nau e o mar e o cheiro a vida,
O lugar onde tantas vezes criámos um novo mundo?...
Onde estão as estrelas, a força de vencer o destino,
Aquelas palavras enaltecidas por sonho?...

Quando os dias passavam e eu sem os sentir passar...
Quando era ilusão, então, e não felicidade como dizias...
Quando fazia para que fosse eterno o efémero de nós,
Esvaziava-se a praia nas ondas da incompreensão...

Vida que me abandonaste, por onde hei-de ir?
Tudo me escapa das mãos como a um desertor escapa a coragem.
Tudo me leva a crer que não sei o que é sentir.
É de mim ou terei de ficar à margem?

Espera. Deixa-os entrar p'ra falar comigo. Digam-me onde fica afinal
Aquela longínqua memória, aquela aparente felicidade,
Que tinha dias e sentimentos à mistura bem passados
E a voz conjunta do para sempre!

Álvaro Machado - 23:52 - 26-02-2014

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Da outra margem!

Barco infantil