Bruma.


Esperei
Como quem espera D.Sebastião.
E vi que foi um tempo vão
Esse que usei.

Não vem ninguém
Depois da bruma,
Senão ilusão que além
Não sabe de cousa nenhuma.

Então porque espero
Se dali o vento diz
Que não vem aquilo que quero?

Álvaro Machado – 20:39 – 07-03-2014

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Da outra margem!

Barco infantil