De repente...


Os dias são tão inúteis
E a vida tão estranha...
São as horas dolorosas
Que no passar delas
Provoca tédio...

E o dia acaba assim
Sempre como começa:
Na ilusão que vai indo,
Que nos vai fazendo permanecer
Sempre na mesma indefinição...

Álvaro Machado - 19:32 - 12-03-2014

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Da outra margem!

Barco infantil