Tardes


Com muita calma o sol parte
Para o outro hemisfério
Onde outros montes e rostos
Alentará de sossego.

Com muita calma nós vamos
Assim, também, no mesmo ir do sol,
Receber amanhã o mesmo brilho
Que hoje nos fez sorrir.

E na plenitude, sobre os campos verdes
E as árvores e as flores e os animais,
O sentimento é maior. E mais puro.
Mais real. Autêntico nas sensações.

Nu na sua essência. Um canto de ave é-o assim:
Um canto de ave. E nada mais do que isso...
O sol parte, o sol volta.
Nós também.

Álvaro Machado - 20h00 - 10-03-2014

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Da outra margem!

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

de folha em folha, tudo cai vão