Universo paralelo


Inda agora nasceram
Não sei bem onde
Estrelas para além
De eu estar sentado
A pensar nelas…

Inda agora nascem, morrem,
Na mesma instância,
Enquanto o infinito avança
Sem ter mão no avanço
De não durar…

Como chuva, quando cai,
Ilumina no céu a esperança
De outro eu que agora
Se encontra a escrever
Por qualquer lado…

Andamos em universos dispersos
Pensamos, sentimos o mesmo.
E espero que um dia eu encontre
Com a alma do sonho
Essa outra metade de mim.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Da outra margem!

de folha em folha, tudo cai vão

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante