pranto recalcado


silêncio: é noite, chove e eu não existo.
na fé oiço, calo e desisto.
estou só, sofro, e é assim que eu quero estar.
cubro-me com o vácuo, fito o mar
e penso: quero-me ir, quero findar.

Orionte - 00:10 - 28-05-2014

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Da outra margem!

Barco infantil