Subconsciente


Os sentidos na noite purificam
Até ao infinito.
Noite significa morte. Silêncio. Amor. Contradições.
Qualquer coisa que a montanha insista como impossível...

Um barco parte. Sem significado,
O horizonte espera como que pelo sol que virá não tarda.
Nem é cedo, nem é tarde.
São os contrastes do pensamento metafísico,
Da alma cortada por uma faca despida de preconceitos.

Tem calma, todos somos assim.
Deixa o silêncio entrar. Nada é de outra maneira senão nada...

Encontro no excesso
O meu refúgio para viver
Os disformes espaços que
Ora surgem ora desvanecem
No mesmo tempo...

Descansa, dorme. Solitário homem.

Álvaro Machado - 02:36 - 18.08.2014

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Da outra margem!

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

de folha em folha, tudo cai vão