sonho-além


um universo muito mais além,
um rosto e um corpo inda mais distantes,
um deambulante caminho por percorrer
no submundo do destino...
um passo. um suspiro. uma indefinição.
tudo, tudo isso, além-nós, além-alma, além-coração...
porque, para além de nós, há-de existir o melhor,
o horizonte que será paraíso e não horizonte...
pudesse eu nunca ter existido aqui...
não ter sido vida, mas morte...
não ter cantado, mas calado...
não ter estrofes, mas folhas vazias...
pudesse ter-me sido futuro, pudesse ter-me fora daqui...
ébrio, cambaleante, desajustado e quem sabe se só poeira estrelar
fosse eu, e fosse feliz... e corresse universo inteiro gáudio
pelo destino ter-me levado ali, além tudo que existe!...

Álvaro Machado - 17:31 - 26-09-2014

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Da outra margem!

Barco infantil