A arte silenciosa


Calo-me porque o silêncio é sagrado
e as palavras amaldiçoadas.
Estagno porque o meu pecado
é ficar de mãos atadas...

E às vezes deixo-me pensar
que na verdade aqui não pertenço.
A minha alma é do mar
e só a navegar é que venço...

E é no meu calar
que mais me hão-de ouvir.
Quanto do que eu sou vai-me no expressar,
porque só assim sei sentir...

Álvaro Machado
- 22:22 - 01-04-2015

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Da outra margem!

Barco infantil