Coimbra dos doutores


a cada vibrar de corda, a cada soar de voz
escorre a lágrima sentida e saudosa
vestida de capa negra
por todo o estudante

em cada um de nós perpassa
o sentir Coimbra muito além
e quando outros nos ouvem, do sentir de aqui,
nada compreendem...

o silêncio enternecido no cessar de uma canção
nos leva para um passado, para uma geração,
imbuída de crenças e de sonhos
e aí compreendemos esta cidade,

tão-só ela se despe, desinibida dos que a vêem,
e se preenche em cada recanto de vida e esperança...
retoma o vibrar de corda e o soar de voz
desta cidade que vive dentro do meu coração!

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Da outra margem!

Barco infantil