embalar do senhor


e agora
que o tempo chora
embalo a canção
da minha hora...

e agora
que o tempo chora
caído não me levanto
como outrora...

e agora
que da minha mão o tempo voou
é que não quero ir embora...

e agora
que tudo que era se esvaziou
é que não quero ir embora...

e agora, embalando-me,
cantando, sorrindo,
vou como que afastando-me,
vou longe indo...

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Da outra margem!

de folha em folha, tudo cai vão