Dias assim


Ao bater suave da chuva no chão
lentamente fui desintegrado
desse nó que se me dava um arranhão
tremendo no fado

Saía-me da voz trémula o crer
pleno e imbuído de certeza
na verdade que fazia por ter
em uma pequena luz acessa

Mas a chuva depressa intensificou
e as ruas imensas em mim
o brilho se lhes depressa cessou

E onde via esperança passou
p'ra lugar sombrio assim
como o coração que nada encontrou

Álvaro Machado - 01:17 - 17-12-2015

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Da outra margem!

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

de folha em folha, tudo cai vão