Poeta dramático.

Sobre a lua ainda não aparecida
poiso meu prolixo fragmento
e penso se será merecida
a dor do meu sentimento...

Momentos após quase esqueço.
Indecisão? É tremenda, a linha é excessivamente
ténue p'ra que possais pensar dela ao avesso,
dados a ela artística e fugazmente...

Tão-só respirais; nunca ireis saber
como sabe o respirar na alma, repleta de oníricas escadarias...
Viver é-vos esperançosamente tido pela inconsciência do vosso ser
sem catedrais, sem palácios majestosos, sem covardias,
sem viagens exaustivas à consciência onde a lua nunca veio...

Afinal, sou apenas um poeta dramático.


Álvaro Machado - 19h27 - 08-7-2016

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante

Da outra margem!

Barco infantil