confissão marítima


o meu coração é agora a nau
prestes a atracar em qualquer porto
atraco à noite pesada e sombria
ou talvez à manha clara do dia seguinte

estou quase a chegar!
que emoção de conquista!
iço sobre a nau a paz almejada
naquele pedaço de ilha defronte

mas logo uma turbulência desmedida
posta na força do mar insano
quebra em pedaços a nau do meu coração
e o sonho, o amor de ali chegar, cessa em permeio...

Álvaro Machado - 03h51 - 09.10.2017

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Da outra margem!

de folha em folha, tudo cai vão