tão-só olhar


só queria olhar...
olhar e nada ser...
ter de mim um vasto mar
e um destino a desconhecer...

mas é tão grande saudade
que em mim vem desaguar...
e é uma dor de tamanha intensidade
que só me faz chorar...

o sentido de não o ter
me deixa à margem
de, na nau, em vão percorrer
essa viagem...

o porto é o bater do meu coração...
as ondas erguidas meu o é amar...
o que resta é tão-só canção
do distante navegar...

e eu só queria ter olhado,
olhado sem nunca ter existido.

Álvaro Machado - 14:38 - 12-10-2014

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Da outra margem!

de folha em folha, tudo cai vão

Jorge de Sena - Uma pequenina luz bruxuleante